quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Momento certo?


Tu acreditas que tudo acontece no momento certo? Achas?
Não esperes que aconteça. Não desejes que aconteça. Apenas, quando acontecer, se acontecer, faz com que isso valha realmente a pena! 
Existem coisas que não precisam de explicação para terem acontecido, certas coisas acontecem porque tinham que acontecer, ponto!
Sabes então o que te compete a ti? Compete abraçar quem está do teu lado e quem te quer bem.
Aproveita tudo, suga até à ultima gota o momento, cada sorriso, cada gargalhada. Deixa de lado tudo o que te atormenta, esquece quem nunca quis o teu bem, acima de tudo, valoriza-te, tal e qual como és!
A vida é nossa e só depende de nós mesmos querer vive-la da melhor maneira possível!
Interioriza o seguinte e aplica isso na tua vida, valoriza quem está do teu lado, pois somente essas pessoas te irão ajudar a chegar a algum lugar. 

Confia, aceita, entrega-te e agradece!




segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Pela vida fora

Pela tua vida fora e com a ajuda do "senhor" tempo, irás perceber que para se poder ser feliz, é importantíssimo aprenderes a gostar de ti mesmo, a cuidar de ti e, principalmente, a dar valor e a gostar de quem também gosta de ti.
Como alguém diria : "O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até ti". 
Profundo..
Pois bem, se calhar, certo dia, poderás chegar à conclusão que encontraste algo ou alguém que não estavas nada à procura, mas algo ou alguém, que estava à tua procura!
Aproveita..






segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Ritmos e oportunidades


Pergunto-me, por vezes, o que nos leva a escolher uma vida assim?
Agora, pára e pensa um pouco, comigo!
Pensa bem, em todas as oportunidades que já deixaste escapar pelos dedos, nas oportunidades únicas que perdeste por medo, naquelas ideias soberbas que nunca saíram desse estúpido papel que tens na tua frente, por causa dessa tua maldita mania de viver no mundo da ilusão e do faz de conta, em que apenas aquilo que importa, é não importar nada ! 
O ritmo da vida e dos acontecimentos é de passagem, quando decidires mudar, quando sentires que estás pronto para o próximo passo, vais precisar ter o coração e a cabeça no lugar, vais precisar de colocar em prática todas as tuas capacidades. Caso contrário, facilmente serás ultrapassado, colocado de parte. Então ai, tens que puxar ainda mais por ti e aplicar um ritmo rápido para esquecer de tudo. 

Sim, esquecer também é uma forma de aprender!






quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Quem sou eu?

Fui, sou e sempre serei um ser humano. Tenho defeitos como toda gente. Mas também tenho sentimentos.
Sonho ser aquilo que não sou. Alucino tocar tudo aquilo que vejo com as minhas mãos. Vivo momentos que me apetece fazer desaparecer todas as coisas. Amo tudo e mais que tudo. Odeio tudo aquilo que não existe. Odeio tudo o que partiu e nunca mais voltou. Preciso sentir-me 100% dentro de mim. Não quero aqueles momentos em que apenas o meu corpo ficou presente e a minha alma foi-se. Não sei para onde. Talvez para nenhum lugar.
Eis, que de repente, tomo consciência dos meus momentos de verdadeira ausência. Sinto quem realmente sou. Faço perguntas. Porque que ninguém me responde? Porquê que sinto que me escondem algo? Dizem que temos sempre a resposta no nosso coração, dizem…
Baaasta!!
O tempo urge. O teu, o meu, o nosso. Aquele silencioso tempo que não espera. O relógio da nossa vida que não pára. Aquela misteriosa vida que passa num abrir e fechar de olhos.
Acredito, verdadeiramente, que o que tiver que ser será. Nada, nem ninguém poderá mudar o rumo dos acontecimentos. O rumo da história.
Sinceramente, a vida não é só o caminho que escolhemos seguir, mas também, o nosso verdadeiro destino.
Agora? Agora está frio lá fora. Cai a noite e a minha alma desce ao encontro do seu lugar! 









segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Tudo me desaparece!

Tenho momentos em que tudo me foge. Tudo me desaparece. Parece água que evapora. Perco os sentidos. Perco o meu caminho. Perco a minha imaginação. Deixo de perceber onde estou. Perco a noção do norte e do sul. Não entendo.
Numa fracção de segundos perco a minha vida inteira. Alguém, um ser que eu não vejo, rouba-me todas as minhas recordações. Deixo de sentir quem sou. Deixo de sentir aquilo que mais me caracteriza. Deixo-me apoderar por tudo e por todos. Sinto que não sou quem quero. Sinto que devo ser outro que não eu. Olho. Penso. Vejo e revejo. Ás vezes, vejo a minha vida como um mero espectáculo. Sinceramente, não me agrada a ideia. Paro de novo. Tenho de encontrar uma resposta. Lá surge. Custa a crer. A verdade dói. Aquilo a que assisto e julgo ser um mero espectáculo, sou eu mesmo.
Encontro às vezes retratos perdidos. Não roubados. Marcos da minha vida. Marcos dos meus medos. Marcos dos meus sonhos. Marcos das minhas caminhadas. Sinto saudades. Sinto vontade de ouvir aquela voz. Sinto vontade de sentir os mesmos cheirinhos de sempre. Lembro-me do passado. Sinto.
Vou voar um pouco. Viajar no tempo. Para onde vou? Saberei quando lá chegar!





terça-feira, 15 de setembro de 2015

Nem tudo é eterno!

Quantas vezes estás quieto, deitado no sofá ou na cama, mas na tua cabeça está a maior confusão possível?
Sem perceberes o porquê de tanta coisa, talvez de raiva, levantaste e colocas os fones no ouvido e vais "zappingar" as estações da rádio, à procura de alguma música que possa alterar alguma coisa, que possa até remexer ainda mais os teus pensamentos. Fazer-se luz..
Surge um olhar no escuro, o teu olhar, é então o momento em que sem saber a razão, decides parar naquela música que tantas vezes cantaste para alguém. Então fechas os olhos, inspiras fundo e procuras sentir a presença de quem já não está por perto. Voltas a abrir os olhos e as coisas estão exactamente da mesma maneira que as pintaram, nada mudou. É nesse dia que vais descobrir que apesar de viveres quase um século, esse tempo todo não é suficiente para realizares os teus sonhos e encontrares quem querias.
É assim que muitas vezes vives, em busca de um pequeno momento que consiga esconder todas as tuas emoções! Se por acaso tentares fingir que não viveste, isso só te trará frustração. Todos temos um grande e grave problema dentro de nós, tendemos sempre a acreditar que tudo é eterno!








segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Ver, Ser, Estar, Sentir, Fazer e Gostar!

Todos nós somos a criação de algo. Somos marionetas do tempo. Vivemos na ânsia de algo. Eu não sou diferente. E assim, fruto disto tudo, nasci eu.
Sou um misto de sentimentos e sensações sempre presentes à flor da pele. Eu sou a criação mais exacta de um tempo agitado, de emoções levadas a cabo ao sabor do vento. Tenho as minhas ideias, algumas correctas, outras nem tanto. Eu sei e admito que tenho muitas vezes ideias controversas. Tenho conflitos interiores como toda gente. Não sou perfeito.
A minha vida não é uma planície, mas sim um vale, um vale com muitos altos e baixos mas, não será isso que, pouco ou muito, me fez crescer?
Sou determinado, mas nem sempre luto por tudo o que realmente quero. Acomodo-me. Contudo, não é por isso que deixo de ser o que sou, tenho ideias próprias, desenvolvidas por mim no meu laboratório.
Gosto de viver, ui, se gosto! Não vivo muito preocupado com o que os outros pensam, sentem, acham. Sem dar muito nas vistas, com o passar dos anos, comecei a gostar de tudo o que me rodeia.
Tenho momentos maus. Ainda bem! Num ponto negativo, existe sempre um positivo.
Momentos maus quem não os tem?!
Perdas, traições, entre muitas outras coisas. Mas imaginem quando surge a verdadeira vontade de libertar todos os nossos maiores pensamentos e não conseguimos? E quando queremos soltar aquele verdadeiro grito de revolta e não conseguimos? E quando finalmente conseguimos e não temos ninguém para nos ouvir?
No meio de tanta coisa, felizmente, hoje tenho o respeito de muitas pessoas. Consegui construir um castelo forte de amizades. Já me cruzei com gente falsa, sincera e simpática. Sei que a minha vida ainda é muito curta, é certo, mas já vivi muitas coisas, ouvi tantas e tantas histórias fantásticas, deram-me tantas e variadas lições de vida, tive um navio carregado de momentos marcantes e, no final da história, sem que eu seja exemplo para alguém, tenho em mim os verdadeiros desabafos que só na escrita por vezes é possível transcrever.
Eu sou assim, quem aprende a gostar, gosta. Quem não aprende, nunca gostará!